UVV lança coletânea de poesias

21 10 2010

Autores com a poetisa Maria Filina

A cerimônia de lançamento da obra foi prestigiada pela poetisa e declamadora Maria Filina

A I Coletânea de Poesias UVV foi apresentada à comunidade acadêmica com a ilustre presença da poetisa Maria Filina, dos autores contemplados na obra e do Magnífico Reitor da UVV, Manoel Ceciliano Salles de Almeida. A leitura das poesias foi feita pela poetisa capixaba que encantou o público com sua interpretação. O evento, realizado na Biblioteca Central, reuniu cerca de 100 pessoas, incluindo visitantes e estudantes.

A obra é resultado do I Concurso de Poesias UVV, promovido no primeiro semestre de 2010. O concurso teve a participação de alunos de vários cursos, de áreas de conhecimento diferentes, que inscreveram seus textos sonhando em ter uma obra publicada. Dez textos foram selecionados por uma banca examinadora composta por três mestres da língua portuguesa: Andressa Nathanailidis, Artelírio Bolsanello e Maria Luiza de Barros Faria. Leia o resto deste artigo »

Anúncios




Leitura – Uma questão de hábito

1 02 2010

Por Felipe Maurício

A poetisa norte-americana Emily Dickinson costumava dizer: “Não há melhor barco do que um livro para nos levar a terras distantes”. No entanto, o apreço pela leitura atualmente não é tão difundido como deveria ser.

Apesar do grande esforço do Governo para democratizar a leitura no país, perdura a falta de interesse por grande parte da população pelo hábito da leitura e do consumo editorial. É estranho pensar que um país como o Brasil, berço de grandes gênios da literatura e reconhecidos internacionalmente, seja uma nação em que a maior parte da população não se interesse pela leitura.

Recentemente, o Instituto Pró-Livro, associação privada e sem fins lucrativos, cujo objetivo é fomentar a prática da leitura e a difusão do livro, realizou uma pesquisa que traça as principais características dos brasileiros quanto à leitura. Os dados coletados demonstram que as pessoas tem pouco interesse em ler e não dão a devida importância para esse hábito.

A pesquisa demonstra que o hábito de leitura é incitado a partir das referências pessoais, sendo que os entrevistados citaram em ordem de importância, a mãe, o professor, e o pai; sendo estes os grandes influenciadores nesse hábito; enquanto 63% dos entrevistados admitiram que nunca ou quase nunca viram seus pais lendo habitualmente.

Um ponto divergente citado na pesquisa é a razão pelo qual não se lê. A falta de tempo para ler é citada por 29% dos entrevistados, enquanto 27% da população afirma não ter tal hábito por desinteresse e 16% citam a preferência por outras atividades em detrimento a leitura.

Para a presidente do Instituto Pró-Livro, Sônia Machado Jardim, tal motivo (falta de tempo) é apenas uma desculpa. “Eu, leitor, não gosto de ler e, por isso, digo que não tenho tempo. Para essas pessoas, sugiro apenas uma coisa: experimente carregar consigo um livro de bolso e, quando estiver em uma fila de banco, cansado de esperar e comece a ler. Você vai perceber que precisa, apenas, aproveitar o tempo vago que possui”, afirma Sônia.